domingo, 4 de dezembro de 2011

não entendo: como é que tamanha ressaca com pesos na consciência à mistura me levam sempre a estas palavras loucas? ora por amor à santa, como é que o meu blogue me pode acolher melhor que uma amiga? acho que prefiro nem me responder a mim mesma. o silêncio consegue acalmar-me bem mais que aqueles olhares e sábias palavras que cada uma delas pensa ter, sem querer subestimar ou ofender ninguém. 
é que eu, pura e sincera como estou (não, não é costume) não me sinto desconfortável ao nível a que supostamente devia. ora, sou escorpião god damn it. para mim tudo tem que ter perigo por perto ou não me dará graça! os tais pesos na consciência a que me refiro vêm de ti, da posição em que sem querer te deixei. quero dizer, se até o teu riso me deixava corada e reticências, qual é o procedimento agora? eu não gosto de ti, graças a Deus ou seja lá Ele quem for, também não tenho saudades tuas nem dos teus mimos tão estranhamente viciados em mim. sei que sinto falta das tuas mensagens ridículas mas que eu, ridícula que sou igualmente, gostava de ler. but that's it! e agora que te vejo cambalear, exagerando como é habitual, fico sem dormir! não gosto de ter pena de ninguém, isso só alimenta choros e cigarros, sei bem. mas desta vez rendi-me completamente... e não faço a puta da ideia do que fazer para te ver melhor. desculpa se não fazes nada para esconder esse sex appeal e eu não lhe resisti... serve?
grrrr, mais um bicho de sete cabeças na minha vida tão telenovela mexicana e que eu adoro amexicanar. obrigada, MUITO obrigada a mim mesma.