segunda-feira, 19 de setembro de 2011

mói. rói. e (quase) mata

chego ao ponto de adormecer com a televisão por desligar para não te ouvir na minha cabeça. a ti, aos meus erros e aos meus mil devaneios que ainda não aprenderam a rejeitar-te. estou naquela altura em que ainda entro noite dentro inundada em lágrimas e rodeada de perguntas que só trazem dores de barriga e vontade de comer cigarros até encontrar qualquer coisa que me traga de volta à minha vida. fecho os meus olhos e tento acalmar-me, suspiro meia dúzia de vezes e falo comigo e com a minha alma minúscula: "estar apaixonada pode mudar muito a minha vida mas não tem de a transformar a todos os níveis", disse-me alguém que sem querer eu mandei embora. agarro um peluche com força e adormeço. amanhã cuido de ti coração.

11 comentários:

  1. oh, muito obrigada pelo teu comentário, secalhar sou mas já não tenho a força para o ser

    ResponderEliminar
  2. Espero tanto que tenhas razão, um grande obrigada, mais uma vez*

    ResponderEliminar
  3. posso dizer? acho te tao louca,de palavras desmedidas e de coração solto e livre... mas ainda assim nao da para ver frieza em ti. mesmo que sejas um gelo. acho que es mole,na verdade

    ResponderEliminar
  4. entraste onde? :)
    é que eu adoro tudo isto que escreves matilde maria :)

    ResponderEliminar
  5. se carregares na cenita do video no fundo do meu blogue,dá pa ver. é do adoravel charlie simpson- sundown:)

    ResponderEliminar
  6. blog lindo..
    http://itsluckynumberseven.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. se reparares bem é o que fazemos até esquecer algo. Andamos sempre no balanço das lembranças.

    ResponderEliminar